Mais importante do que ter é saber fazer!

//Mais importante do que ter é saber fazer!

Mais importante do que ter é saber fazer!

Atualmente, acompanhar a tecnologia nos desafia uma corrida desenfreada para inovações e avanços tecnológicos, o que torna um momento único da humanidade, pois em nenhuma outra era da história ela foi tão dependente de suas ferramentas.

Na atualidade, as inovações e as descobertas são os fatores preponderantes que ditam o ritmo e os caminhos da humanidade. Novas tecnologias criam novas profissões diariamente. Cada vez mais rápido, deixamos para traz o que sabemos e aderimos novos conceitos. Estes conceitos são tão importantes, pois passam a integrar a nossa vida nos orientando e tornando parte dela.

A tecnologia, é tão importante para uma sociedade, que ela não pode e nem deve abrir mão de seu domínio, pois a partir do momento que tornamos essa tecnologia padrão para nosso modo operante, nos tornamos escravos e dependentes da mesma. Para validar esse pensamento, basta lembrar que há uns 20 anos, ninguém precisava de sistemas operacionais em janelas. Hoje se tirarmos as ergonomias das janelas dos computadores, traríamos um caos na sociedade.

Apesar de todo este grau de dependência tecnológica, não paramos ainda para entender os princípios que regem uma tecnologia, pois ela vem sempre como agregador de valor, seja em forma de melhora da qualidade de vida, melhora da qualidade de serviços e produtos, gerenciamento de custos ou produção em melhor eficiência. Se pararmos para pensar em tudo que uma tecnologia pode fazer, poderíamos escrever vários livros a respeito.

A tecnologia tem vindo como uma forma nova de resolver os velhos problemas. Porém, uma forma “QUE SE FAZ”, e às vezes o mais importante é “O QUE SE FAZ”!

Na maioria das vezes esses detalhes passam despercebidos, e somente refletirá os efeitos posteriormente. Em geral a escolha de uma tecnologia não aborda profundamente essas formas. Assim, a escolha de uma solução tecnológica, além de focar soluções imediatistas, devem também ter uma visão planejada de longo prazo.
É muito importante lembrar, que quando nos oferecem uma tecnologia, mesmo de “graça”, essa é proprietária. Você está assumindo o risco de que, se ficar dependente terá que aceitar todos os desejos do detentor desta tecnologia. Sendo esse processo de dependência, um desafio de superação para humanidade em todas as áreas da vida; quer tecnologia, química ou emocional.

Estes riscos tecnológicos não são inerentes aos padrões proprietários, onde é usado o direito de propriedade intelectual, para defender e fazer reserva de mercado.
Pensando sobre esse aspecto, estaremos entrando no assunto título da matéria. A escolha de padrões abertos, de forma geral, é mais vantajoso a médio e longo prazo, pois favorece o florescimento de idéias, uma coalizão de tecnologia (fusão de várias tecnologias) e enriquece uma propriedade intelectual. A iniciativa privada deve inovar, e dessa inovação tirar seus benefícios.
O que podemos afirmar é que uma empresa não se consolida no mercado meramente por TER um produto, mas é certo dizer que a sua presença está baseada em seu SABER. Prova disso tem sido a forma em que algumas empresas distribuem suas soluções de forma aberta e transparente.

A Base Software:
Ao longo de sua história, desde os primórdios produtos em Mumps, os código já eram abertos. Hoje, todos os nossos produtos “In Site” fazem uso de banco de dados abertos, que além dos dados, também armazenam as regras de negócios dos processos.
Numa visão dentro do conceito da sinergia, todas as funcionalidades dos nossos sistemas estão acessíveis a qualquer cliente, sem qualquer protecionismo.
Quando usamos um padrão proprietário, permitimos apenas ao detentor da patente, que faça agregações ou avanços. Mas essa não representa a realidade histórica da Base Software, que somente chegou aonde chegou, pois além de suas iniciativas, também se respaldou nas sugestões e contribuições dos seus clientes e colaboradores.

Base Software, uma empresa que SABE o que faz.

Texto escrito por Robson Branco, Diretor de Tecnologia da Base Software

Comentários

comentários

2018-03-08T17:14:17-03:00 15 de Março de 2010|Gestão|0 Comentários

Deixe um Comentário